Vem aí...
2º Festival Literário no Cerrado!

Colabore Saiba mais
  • Sobre o Festival

    O Festival Literário no Cerrado (Flic) é iniciativa de um grupo de cidadãos ipamerinos e quer se firmar como uma manifestação da população, prestando um serviço à comunidade e colaborando com as autoridades. Tem como princípio ser um evento de utilidade pública custeado pelas contribuições de particulares; o apoio institucional é dado pela Livrosebooks, uma editora local. A primeira edição, em 2014, foi muito bem sucedida e a de 2015 procura aprimorar e ampliar os resultados obtidos.

    Alonso Alvarez, escritor, editor e livreiro, grande incentivador da literatura infatojuvenil, participou daquela festa e diz a respeito do Flic:

    Alonso Alvarez

    "Uma longa caminhada começa com o primeiro passo. O mesmo é preciso quando escolhemos trilhar um belo caminho. E assim aconteceu com o primeiro FLIC, em Ipameri. Marco de Paiva e sua ótima equipe: Marcio, Guilherme, Rael, da pequena e primorosa editora LivroseBooks deram o primeiro e difícil passo para levar literatura e livros e aproximar escritores de leitores e novos leitores na graciosa cidade entre rios. Foi uma viagem inesquecível, e trouxe na bagagem a felicidade de conhecer a casa da Sra. Rafa Daher Ceva, onde Malba Tahan passou em 1945. Uma noite mágica depois de um encontro literário. Com essa bela estreia, a FLIC 2015 promete ser muito melhor. Contem comigo" - Alonso Alvarez

Por que no cerrado?

O propósito do Flic é se incorporar ao tão bem sucedido movimento de promoção da literatura em vários locais brasileiros, colorindo o nosso evento com os tons locais. Por isso, é predominantemente baseado nos autores e editores da região do cerrado e traz convidados de outras partes para uma troca de experiências que seja proveitosa para todos, deixando resultados permanentes aqui.

Suas dimensões são modestíssimas frente aos grandes eventos nacionais, mas tem duas feições originais: o financiamento essencialmente privado (com ênfase nos cidadãos) e a extensão do trabalho com o público estudantil.

Sob este segundo aspecto, embora as sessões públicas se limitem a dois dias, o programa cobre praticamente todo o ano letivo: os títulos propostos pelos educadores no início das aulas são adquiridos e distribuídos às turmas escolares a tempo de serem lidos previamente, propiciando com isso o maior aproveitamento durante as conversas com os autores. E os encontros com os autores se farão nas próprias escolas, para as classes dos alunos pequenos.

.

  • Device Content Image
  • Device Content Image
  • Device Content Image

1º FLIC (2014)

O Flic de 2014 deixou legados preciosos. Em primeiro lugar, a confirmação da viabilidade de promover um evento importante com recursos diminutos e muita participação de autores, professores e alunos.

Outra satisfação foi o estreitamento das relações com autores, ilustradores e editores, que veio se intensificando desde então, a ponto de alguns deles se proporem a retornar agora.

Da mesmo forma, muitos colaboradores da primeira festa se apressaram em confirmar o apoio, enquanto outros, que visitaram o Flic 2014 ou o conheceram pelas repercussões, já fizeram suas contribuições.

As sessões públicas do primeiro Flic se concentraram no Clube do Engenheiro, vizinho ao quartel da 23ª Companhia de Engenharia de Combate; foi mais uma colaboração da comunidade ipamerina que deve se repetir agora.

Muitíssimo importante entre todos os legados é a demonstração da seriedade dos promotores e da importância primordial dada aos aspectos educacionais do Festival.

Veja a página do FLIC 2014

Autores Convidados

Em 2015 o Flic terá mais sessões por causa dos encontros paralelos nas classes de alunos pequenos e expandiu os assuntos de interesse, incorporando um tema de grande atualidade: a educação financeira. Veja os autores que já confirmaram presença.

Kalunga, o escritor show

Kalunga é poeta, contista, animador cultural, compositor, oficineiro e palestrante e vai animar o Festival.

Tenshi

Livro de Luciane Rangel que conta a história da Umi Matsuo, uma japonesa de 15 anos muito confusa e enrolada...

Meu avô, meu pai

Ulysses Rocha Filho tirou do baú essa incrível história e estará conosco no FLIC.

Até eu te encontrar

Como você se sentiria se descobrisse que não gosta da sua alma gêmea? Embarque com a autora Graciela Mayrink nessa história

Tem que pagar? Quanto custa?

Educação financeira através de livros criativos com Álvaro Modernell

Uhuru

Uma história de liberdade. Um grande encontro com o roteirista e autor do livro: A Caixa de Pandora, Alexandre Lobão

Meu Tio Francisco e Seu Paletó Colorido

Que surpresas guardam tantos bolsos em um paletó? Acompanhe essa aventura com a autora Andreia Marques

O ovo da cocó

Edivânio Honorato conta suas histórias no FLIC 2015

Contação de Histórias

Paulo Pazz é contador de história, escritor, ator integrante da Cia Expressart

Apoiadores

O FLIC acontece porque existem pessoas que colaboraram e colaboram com esse projeto..

Como Colaborar?

Tudo isso só será possível se transformarmos parte das colaborações em recursos financeiros, necessários para custear os encontros e as despesas essenciais.

Quando Colaborar?

O Festival acontece em setembro, mas os trabalhos já começaram. Desde 2014 estamos recebendo colaborações para o FLIC 2015

Captação

As colaborações podem ser feitas através de depósitos bancários, parcerias de serviços ou atrações para o Festival.

Quer saber mais?

Formulário de Contato